Hidroterapia

Hidroterapia ou Fisioterapia Aquática é uma atividade terapêutica que consiste em utilizar os recursos de uma piscina preparada especificamente para este fim com medidas, profundidade, temperatura, ambiente externo e um profissional especializado na atividade, um fisioterapeuta.


O fisioterapeuta é o profissional que está devidamente autorizada por lei a utilizar os princípios físicos da água com o intuito de reabilitação física em pacientes com distúrbios diversos.

Utiliza piscinas de água quente com finalidade de reabilitação vem de muito tempo atrás na história. Acredita-se que os Egípcios usaram os banhos com finalidade terapêutica na história ao redor de 2000 AC. O banho mineral ou spa existe a muito tempo em Merano, Itália. Onde existem as evidências do uso organizado das fontes desde 5000 anos atrás.

A hidroterapia foi desenvolvendo-se até a atualidade e hoje apresenta um nível técnico de desenvolvimento comparado a grandes técnicas de cura e reabilitação. Hoje a hidroterapia é voltada quase exclusivamente a piscina terapêutica sendo o sinônimo da modalidade.

A forma mais comum de hidroterapia é o atendimento individual objetivando que, os princípios físicos da água, juntamente com movimentos específicos, alcancem um alto índice de sucesso no tratamento.

Nesta forma de terapia, a água ajuda os pacientes a realizarem seus exercícios mais facilmente do que em terra. Isso ocorre porque, o peso do paciente fica reduzido quando submerso em água. Pessoas com problemas como dores nas articulações são capazes de melhor executar os exercícios na água por causa da redução do peso, eles podem mover seus membros sem dor e com menor esforço. Os pacientes que estão acima do peso, aqueles que sofrem de dor crônica e aquelas com problemas ortopédicos irão beneficiar-se com a reabilitação aquática.

Exercicios de Hidroterapia Exercicios de Hidroterapia para idosos

A resistência natural da água auxilia no exercício promovendo uma reabilitação prazerosa e sem dor. Quando os exercícios são realizados na água, as pessoas com fraturas fortalecem rapidamente sua musculatura, enquanto que pacientes com artrite movem seus membros com mais facilidade. Também não há necessidade de se preocupar com a pressão sobre as áreas afetadas. Os exercícios, quando realizado sob a água não apenas ajudam no tratamento mas também ajudam os pacientes a recuperar muito mais rápido.

Os fisioterapeutas que optam pela reabilitação na água conhecem os imensos benefícios que esta conduta proporciona. Eles usam diferentes exercícios juntamente com equipamentos diversos no tratamento. O equipamento utilizado assemelha-se aos flutuadores que são vistos em piscinas normalmente com algumas adaptações.

Para ajudar os pacientes a equilibrar-se, a massa de água é utilizada enquanto que para o fortalecimento da musculatura usa-se a resistência da água. Para aqueles com problemas nos pé esta é uma excelente forma de terapia, pois permite caminhar com facilidade. Os pesos também podem ser usados como ajuda na manutenção do equilíbrio.

Pacientes se beneficiam enormemente com a reabilitação na água. As pessoas com artrite se beneficiam consideravelmente tendo uma recuperação mais rápida. É aconselhável que um médico seja consultado antes de iniciar.

No caso de atletas após uma lesão, doença ou cirurgia, o atleta sofre um aumento da sensibilidade à dor e perder um pouco da capacidade de suportar o peso sobre a área afetada. A água reduz a força da gravidade, o que permite movimento e atividade funcional mais confortável. Reabilitação aquática auxilia porque a água suporta o corpo, reduzindo o esforço conjunto e proporcionando resistência e assistência aos movimentos.

Os atletas podem melhorar a função e mobilidade em um ritmo rápido durante o processo de cicatrização. Alguns outros benefícios da terapia aquática incluem melhoria da força muscular e função cardiovascular, redução do stress, diminuição do edema, aumento da circulação e uma maior amplitude de movimento. Maior flexibilidade, equilíbrio e coordenação também são resultados comuns desse tipo de terapia no caso de atletas.

A Fisioterapia Aquática pode ser usada em casos:

  • Ortopédica;

  • Neurológica;

  • Reumatológica;

  • Pediátrica;

  • Respiratória;

Hidroterapia para idosos

Benefícios:

  • Diminuição da dor

  • Promove o relaxamento muscular;

  • Diminui espasmos musculares;

  • Aumenta o limiar de excitação nervosa, diminuindo a dor;

  • Facilita o movimento articular melhorando a ADM;

  • Aumenta a circulação periférica;

  • Redução de edema;

  • Fortalecimento muscular;

  • Melhora a musculatura respiratória;

  • Reduz a atuação da forca gravitacional;

  • Melhora a autoconfiança do paciente {efeito psicológico};

  • Melhora dos distúrbios do sono;

  • Melhora a ansiedade e o stress;

  • Permite realizar a cinésio precocemente em pos-cirúrgicos;

  • Permite realizar a cinésio em comprometimentos musculares com graduação de força;

  • Diminuição da descarga de peso;

  • Estabilização de articulações;

  • Propicia e ortostatismo e marcha;

  • Estimula equilíbrio e coordenação;

  • Previne contraturas musculares e deformidades;

  • Favorece o aumento das amplitudes de movimento direta e indiretamente;

  • Promove relaxamento muscular / diminuição do tônus;

  • Diminui edemas e favorece o retorno venoso;

  • Auxilia a ação de músculos fracos;

  • Aumenta a força muscular;

  • Propicia trabalho respiratório, aumentando a expansibilidade, favorece a expiração e aumenta a capacidade vital;

  • Estimula os movimentos;

  • Restabelece e estimula as reações de endireitamento;

  • Reeduca os padrões centralizados dos movimentos, que são rotacionais;

  • Reeduca os padrões recíprocos de movimento;

  • Trabalha padrões funcionais de movimento;

  • Aumenta o condicionamento cardiovascular;

  • Auxilia na higiene brônquica;

  • Diminui as forças compressivas intra-articulares;

  • Melhora auto-estima;

  • Melhora as atividades de vida diária;

  • Propicia oportunidade de recreação e socialização.

Contra-indicações

  • Estados febris;

  • Infecções em geral;

  • Dificuldade ou insuficiência respiratória aguda;

  • Alterações da pressão arterial não controlada;

  • Cardiopatia severa;

  • Grandes feridas abertas ou úlceras;

  • Incontinência fecal e ou urinária imprevisível.